Total de visualizações de página

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

A RAÇÃO DO DÓRIA






 






                                                      Ser de esquerda já é um estigma. Imagine ser esquerdista e maniqueísta! Definitivamente, não sou maniqueísta. 
                Sempre combati o desperdício e defendi o reaproveitamento de alimentos, seja de sobras que serão jogadas no lixo, como os que estão com data de validade prestes a vencer. A fome no mundo chega a níveis inimagináveis e não é possível que se conviva tanto desperdício.
                          Por isto defendo um programa de reaproveitamento de alimentos. O que se deve combater é a forma como está sendo feito o programa e não o programa em si. Neste ponto, cabe ao povo e às autoridades sanitárias, fiscais e outros fiscalizarem o programa para não permitir fraudes.
                           Esta ideia de que só porco recebe ração é uma ideia preconceituosa e tacanha. O que fazemos nós diariamente não é receber nossa ração diária? A dieta que se faz não é uma ração diária? O que comem os astronautas nas naves espaciais não é uma ração diária? 
                            Não se deve  deixar que a ideologia nos embote a razão. Sem razão não chegaremos a lugar nenhum, não seremos nem capazes de descobrir caminhos. Por isto, gente, calma, quanto à ração do homem. Combatamos a forma como ele está fazendo esta ração e nunca a ração em si. Racionalidade sempre.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

MORTE NA ESTRADA PIRITIBA E MUNDO NOVO


A MORTE RONDA AS ESTRADAS



                                    O sonho de crianças, pais, avós e amigos neste 12 de outubro se acabou no asfalto entre as cidades de Piritiba e Mundo Novo. Foi no Km. 17 da BA.421. O ônibus da empresa Emtram,  saído de Itaberaba com destino a Jacobina, capotou deixando um rastro de sangue e morte em 20 pessoas. Foi cerca das 9hs, trazia em torno de 40 pessoas entre adultos e crianças. Os feridos estão sendo socorridos nas cidades vizinhas e ainda em Feira de Santana e Salvador. 
                       São inúmeros os acidentes em nossas estradas. O país paga uma fortuna por estes acidentes. É preciso que o povo exija investigações severas,  para se apurar os culpados e possam as vítimas ou seus familiares cobrar dos responsáveis, indenização pelos danos sofridos.
                             No caso aqui, se houve manutenção do veículo antes da viagem, se não houve, a empresa é responsável. Também verificar a condições de tráfego da estrada, caso que também poderá ser responsabilizado o Estado pela manutenção da estrada. Assim é que não se pode ficar.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

A FOME E O NU







                                               




Não é o nu que é imoral. A fome sim. Mas coxinhas de barriga cheia de todos os matizes esquecem milhões de crianças famintas no mundo. Mundo cão. Não imoralidade na arte, vez que ela é amoral. Nós, sim, podemos sê-lo hoje, e não ter sido, ontem, e tornar a ser amanhã, já que a moral cambia segundo o tempo e o espaço.


                                                     

domingo, 1 de outubro de 2017

E A GUERRA JÁ COMEÇOU













                                                 Sim. A mesma guerra vimos em outros países e estamos vendo agora no nosso já deu inicio. Falo da guerra religiosa. Evangélicos quebram imagens de santos; Outros levam o terror aos Terreiros; E agora vandalizam o túmulo de Chico Xavier; Faz-se passeatas nas ruas contras santos da igreja. Estamos pouco a pouco entrando no clima da Irlanda Norte onde a guerra entre católicos e protestantes durou cerca de 30 anos de 65 mais ou menos até 1998.
                                 Religião, quantas existem realmente? Todas falam em Deus e por ele matam e morre.
                                      Tudo muito bem. Mas é preciso respeitar a religião alheia, senão nós iremos parar no brejo.
                                  Você já viu uma guerra em nome no ateísmo?

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

O ENTERRO DE GUIDO ARAUJO















                                                     Ontem eu ia para o hospital quando ouvi no rádio que Guido Araujo tinha morrido, confirmando a mensagens que tinha recebido no zape. O mundo corre mais do que aguenta nossas pernas. Mário Kertész se lamentava da morte de Guido, que tinha sido um grande batalhador, blá, blá, blá, blá, blá, blá. Me deu vontade e perguntar-lhe o que ele tinha feito por Guido e pelo cinema baiano quando estava por cima na política. Mas fiquei calado e me programei para o enterro,  se amanhecer melhor.
                                    Eu continuo dizendo enterro, apesar de saber que nosso Guido preferiu pregar uma peça em Deus. Preferiu ser queimado. Imagine o trabalho que o Divino vai ter  para ressuscitar os mortos no  juízo final. Se para reunir ossos vai dar trabalho, imagine cinzas.
                                    Mas, o fato é que saímos para o cemitério. Eu, a mulher e mais algumas pessoas. Subimos uma ladeira cheia de curvas que vai perto do Jardim da Saudade e depois outra que vai dar no crematório. Na igreja, que era enorme, uma multidão, a maioria mulheres rezava e chorava em torno do ataúde de Guido imerso numa grande piscina.
                                      Eu, que me dei conta que estava de paletó e gravata, mas descalço, fiquei envergonhado e ao mesmo tempo com nojo daquele chão batido. Sim. A igreja era de chão batido. Meus olhos procuraram em vão uma pessoa amiga, conhecida, minha e dele. Não vi ninguém. Onde andam teus amigos Guido, pensei. Em procurei os mais famosos, mais conhecido. Ninguém. Sabia ter ali alguns parentes do morto, só. 
                                      Disse, meio para mim, meio para todos. Mas assim molhado o cachão não vai queimar. Alguém respondeu: Queima, a temperatura do forno é muito alta, queima até pensamento.
                                     Pensei comigo, se queimarem o pensamento do Guido, ele está lenhado e acordei. 


quarta-feira, 27 de setembro de 2017

MORRE GUIDO ARAUJO


                               



                           


                                         
                       
                                                         
                                                   Grande Guido, por que nos deixaste enquanto se fazia o caruru dos ibejis? Por quê tanta pressa? Por quê não esperar para comer uma colher de vatapá e saborear um rolete de cana? 
                                   Vai apressado, não te desejo descanso, porque sei que esta pressa não é tua, quem te viu sabe, que preferias o cansaço da labuta à paz do desconhecido.
                                    O cinema está de luto. A Bahia está de luto.
                                

terça-feira, 26 de setembro de 2017

TODOS SOMOS CORRUPTOS.

                                                 









                                                    Hoje, todo o mundo é honesto, só os políticos não o são.
                                  Estamos atravessando uma onda de moralismo no mundo, entretanto, a gente só enxerga a corrupção no outro, o que,  de certa forma, já uma forma de corrupção: O não enxergar os próprios erros.
                                  Em meus longos anos já vividos, na esperança de vivê-los mais, tenho visto de tudo. Agora todos se julgam honestos, só os políticos não o são. Conheci muita gente que comeu ou deu o cu para trabalhar no pela peça, num filme ou numa novela; Outros (mulher e homem)  que se prostituíam para pagar os estudos; Outros, sem moradia, foram morar com um mais idoso para ter casa e comida; Outros que vendiam sentença e são, hoje, magistrados de respeito; Outros, ainda, que faziam cirurgias em hospital público ganhando de três fontes: do SUS, do Plano de Saúde e do próprio paciente, etc. etc. etc. Tem até vendedor e comprador de lugar na fila do SUS e outros órgãos públicos. 
                                    E  que dizer de nossas "inocentes" pescas e em toda e qualquer prova?
                                     Mas só os políticos são corruptos e ladrões.  
                                     É de fazer dó, tanta cara de pau.